A Industria da Beleza - Profissionalização x banalização

O que antes era visto como futilidade e supérfluo - alguns ainda assim consideram -hoje é industria,o mercado de cosméticos /beleza movimenta aproximadamente 30 bilhões de reais anual.




E os salões e clinicas de beleza e estética crescem indiscriminadamente,uma faca de dois gumes,enquanto por um lado profissionais da área da beleza hoje são reconhecidos,ao mesmo tempo caem na banalização da categoria que infelizmente ainda é muito desunida.

Salões são abertos em todas as esquina todos os dias,onde são oferecidos serviços a preço de banana e na maioria das vezes não se alcança o efeito esperado.Infelizmente esses salões acabam respingando nos profissionais que se dedicam integralmente a profissão,estudam e se especializam.

Quando fui fazer o Curso de Expert em Corte na L'Oréal achei que seria só mais um diploma e para minha surpresa a introdução do curso foi sobre psicologia,linguagem corporal e atendimento a cliente.

Psicologia?Sim.

O salão de beleza não se resume a serviços de cabelo,maquiagem e manicure,o contato com a cliente é importantíssimo,é um momento de prazer que está sendo pago e por isso deve ter integração,muitas não querem ser só clientes,querem desabafar e nessa hora o profissional deve ter jogo de cintura para lidar com todos os tipos de situação.



Especializar-se na sua área,ser neutro em algumas posições ,estar antenado,ter conhecimento de imagem pessoal,bem estar,comportamento,ter boa postura são imprescindíveis  a qualquer profissional que lida diretamente com o público e quer destaque e reconhecimento.

Profissionais da área da beleza devem intensificar essa responsabilidade,já que lidam com a auto estima dos seres.

O mercado da beleza realmente encareceu,bons produtos estão supervalorizados,a manutenção e os impostos do espaço são exorbitantes e os cursos de especialização giram em torno de R$ 500,00 e R$5,000,00 -no Brasil.




Isso também gera conflitos;profissionais que não se atualizam e querem ganhar muito,aqueles que não se especializam e cobram valores muito baixos em uma concorrência injusta ,que na verdade não gera lucro algum para eles,e clientes que não valorizam os serviços,querem preços baixos e qualidade,o que é impossível.

O divisor de águas é realmente o profissional,que deve sim investir em sua carreira valorizando seu serviços e oferecendo qualidade,bom atendimento e resultado à sua clientela.Por outro lado a cliente deve visualizar os efeitos em ser atendida por um bom profissional comprometido e por aqueles que só querem ganhar dinheiro sem oferecer integridade aos serviços realizados.

Como eu disse antes, é mexer com auto estima,ou seja,um serviço barato que traga sequelas pode oferecer mais prejuízos que um serviço com valor justo e resultado satisfatório.


Também poderá gostar de:

Tendência e Personalização por Anderson Sartori

0 comentários:

Postar um comentário

 

Contato

Selo de Qualidade EnModa

Quem escreve.